27.nov.2017 ||
Categorias: Sem categoria

Antecipação de recursos requer plano.

Antecipação de recursos requer plano.

Criar planilha para organizar os recebíveis antecipados foi a estratégia encontrada pelo presidente da BMA Ambiental, Reuter de Souza, 45, para não contabilizar “verba fantasma” no caixa.
Durante dois anos, a empresa de engenharia ambiental acumulou capital de giro com adiantamento do pagamento de produtos vendidos -espécie de crédito concedido pela companhia parceira, a Vale. Com isso, pôde adquirir frota de caminhões à vista, entre outras conquistas.

A atenção redobrada aos recebíveis deve-se à falsa ilusão de dinheiro no caixa proporcionada pelo crédito, diz.
“Se vendemos todas as notas [antecipamos todos os recebíveis], não temos o que receber depois”, analisa Souza, que afirma ter tomado mais cuidado com a receita depois de problemas com agiotas.
Analisar quanto custará o aporte -em descontos pelo adiantamento ou em juros cobrados pelo crédito-e planejar a aplicação dos recursos, como faz Souza, são requisitos básicos para o sucesso do negócio, segundo Renato Hirata, coordenador do curso de pós-graduação em negociação da HSM Educação.

“Sobra dinheiro no mercado, e os bancos estão ávidos por conceder crédito. Cabe ao pequeno empresário aproveitar essa tendência.”

CÁLCULOS
Registrar as operações feitas e planejar os gastos com tributação, exemplifica, “são os primeiros e principais deveres do empresário”.
Uma recomendação contra “rombo orçamentário” é distribuir a venda de recebíveis e as parcelas do pagamento do financiamento durante o ano, indica Mauro Johashi, sócio-diretor da consultoria BDO RCS. “Vender todas as notas em um ou dois meses pode impactar o caixa se não houver fundo de reserva.”

 

Matéria completa em: http://classificados.folha.uol.com.br/negocios/1015972-antecipacao-de-recursos-requer-plano.shtml

Compartilhar:

Posts relacionados